08 novembro 2011

Sermão - Confiança, característica dos amigos de Deus

Texto base - Gn. 12 e 13

Introdução

Os verdadeiros amigos de Deus têm absoluta confiança em Deus

1. ABSOLUTA CONFIANÇA NO CARÁTER DE DEUS - Gn 12.1-5

Aos 75 anos de idade, Abrão deixou tudo para trás (seus parentes, seus amigos, sua cultura e seu próprio povo), confiando tão-somente na Palavra de Deus. Abrão confiou na Palavra de Deus porque Deus tem Palavra.

E Sua Palavra é a expressão do Seu caráter.

E o caráter de Deus é perfeito.

Ele é digno da nossa mais absoluta confiança.

2. ABSOLUTA CONFIANÇA NA JUSTIÇA DE DEUS - Gn 13.8-11

Ló não agiu corretamente com Abrão, pois o chamado e a promessa de Deus eram de Abrão, não de Ló. No entanto, ele se agregou a Abrão (Gn 12.4; Gn 13.1) e se beneficiou da benção de Deus sobre a vida do seu tio. Mas, quando surgiu um conflito entre ambos e tiveram que se separar, Ló escolheu e ficou com a melhor parte.

Em nome da paz entre ele e Ló, Abrão aceitou a perda, o dano, o prejuízo (I Coríntios 6.7). Abrão não ficou frustrado, nem revoltado com a injustiça cometida contra ele por seu sobrinho. Não! Ele confiava na justiça maior, a justiça de Deus.

3. ABSOLUTA CONFIANÇA NA VISÃO DE DEUS - Gn 13.14-18

Pela ótica humana, Abrão perdeu seu companheiro de jornada (Ló), perdeu a confiança nas pessoas e perdeu os pastos mais bonitos da região; e teve que se contentar com o resto.

Mas, pela ótica divina, nada havia mudado. A promessa da terra ainda era de Abrão e de seus descendentes.

Ao invés de olhar a situação pela ótica humana, Abrão preferiu olhá-la pela ótica divina. Ele levantou seus olhos e olhou toda a terra à sua volta. Firmou seus olhos naquilo que Deus estava lhe ordenando olhar. E esta visão, a visão de Deus, o sustentou para o resto de sua vida, pois Abrão tinha confiança absoluta na visão de Deus.

CONCLUSÃO

Abrão, o amigo de Deus, tinha absoluta confiança no caráter, na justiça e na visão de Deus. Os verdadeiros amigos de Deus têm absoluta confiança em Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário